Home Equity – histórico, crescimento e futuro da modalidade

Leia em 4 minutos
Home Equity
Confira como surgiu o Home Equity no Brasil, a modalidade de empréstimo que mais cresce no país e promete ganhar cada vez mais espaço

Compartilhar Post

Foi em meados dos anos 2000 que surgiu no Brasil uma nova modalidade de empréstimo. Muito comum nos Estados Unidos com o termo hipoteca, o Home Equity nasceu com alguns diferenciais trazendo maior segurança e com juros mais baixos. 

Home Equity é a nomenclatura utilizada para o empréstimo com garantia de imóvel, onde a propriedade fica alienada pela instituição financeira até que o devedor quite a dívida. Porém, o devedor tem direito à posse e uso do bem.  

No Brasil, antes de 1997, muitas instituições financeiras faziam empréstimos nos moldes da hipoteca, porém encontravam dificuldades para reaver os valores nos casos de inadimplência e acabaram até entrando em falência por conta disso.

Foi então que surgiu a lei da Alienação Fiduciária que trouxe maior segurança aos bancos, facilitando a implantação do Home Equity no Brasil. Essa lei que garante que o imóvel fique alienado pela instituição credora pelo tempo necessário até a quitação da dívida. O devedor pode continuar morando no imóvel, podendo alugar ou até mesmo vender, desde que quite a dívida.

Sem regras complicadas, o crédito com garantia de imóvel não traz riscos justamente por haver um imóvel como garantia. Com isso, os bancos oferecem taxas de juros bem mais baixas. Além disso, possui muitas vantagens como usar o dinheiro para qualquer finalidade e prazo estendido para pagamento.

Pode ser contratado por pessoa física ou jurídica, desde que apresente um imóvel como garantia no processo. O empréstimo pode chegar até 60% do valor de mercado do imóvel e o mesmo pode estar alugado.

Lembrando que o imóvel passa por uma avaliação para que todo o processo seja validado e executado de forma justa de acordo com as regras necessárias.

É possível vender o imóvel mesmo depois de colocá-lo em garantia no Home Equity, porém o processo é um pouco diferente do convencional. Será necessário quitar primeiro as parcelas restantes para, então, poder registrar o imóvel no nome do novo proprietário.

As instituições financeiras aceitam imóveis de terceiros, sendo que algumas aceitam apenas de parentes de primeiro grau e outras aceitam até mesmo de amigos. Desse modo, é uma modalidade de empréstimo acessível para grande parte da população.

O perfil dos brasileiros que mais procuram o Home Equity são assalariados e pessoas jurídicas, na faixa dos 48 anos, que possuem o principal objetivo de reorganizar dívidas ou impulsionar o próprio negócio. A renda média desse público é de R$ 15 mil.

Crescimento do Home Equity no Brasil

O Home Equity vem ganhando cada vez mais espaço no território brasileiro. Um dos motivos que levam a esse crescimento são os juros mais baixos, fazendo com que as pessoas recorram a esse tipo de operação.

Ao longo dos anos, o Banco Central foi flexibilizando as regras com relação à essa modalidade, gerando boas perspectivas no mercado. Com isso, muitas instituições de grande porte passaram a reduzir suas taxas, facilitando o acesso ao produto. 

Muitos empreendedores passaram a se interessar por essa operação com o objetivo de obter mais recursos para aumentar seu próprio negócio. Entre as vantagens, muitos destacam o prazo estendido e a contratação de um seguro que dilui o risco e protege o imóvel.

São muitas as vantagens do Home Equity. O prazo estendido é uma das maiores vantagens, as parcelas podem chegar a 240 meses. O juro baixo também é um grande benefício, lembrando que isso é possível por haver o imóvel como garantia, podendo obter um empréstimo de até 60% do valor do imóvel.

No entanto, um ponto importante é que a parcela não pode exceder 30% da renda do contratante, porém é possível compor renda com até duas pessoas.

Futuro do Home Equity

Cada vez mais essa modalidade está se popularizando no Brasil. A digitalização de alguns cartórios e o atendimento online das fintechs facilitam o processo, atraindo mais pessoas interessadas na operação. O tempo de contratação é agilizado e simplificado.

Com as dificuldades do cenário econômico atual, muitas instituições financeiras estão oferecendo crédito de maneira mais flexível. Por isso o Home Equity vem de encontro com a necessidade da população, trazendo segurança e concedendo juros mais baixos com prazos estendidos.

A estimativa é que chegue a R$ 500 bi em contratos de Home Equity no futuro.

É uma modalidade que se tornou uma alternativa bastante requisitada por empreendedores de pequenas e médias empresas, já que foi um setor muito afetado pela pandemia de covid-19.

A Revista Exame aponta um estudo que afirma que, em média, 40% dos pedidos de Home Equity são realizados por pequenos empresários, já que é uma chance de organizar o fluxo de caixa e as finanças pessoais.

Especialistas afirmam que a mentalidade do brasileiro está mudando em relação ao crédito com garantia de imóvel. Eles explicam que muitas pessoas costumam utilizar linhas de créditos como cheque especial e cartão de crédito que possuem taxas altíssimas, mas ainda relutam em colocar um imóvel como garantia e conseguir um empréstimo muito mais vantajoso.

Para a economia, o Home Equity é uma excelente ferramenta para que o mercado de capitais brasileiro avance e se desenvolva cada vez mais.

Economistas apostam que daqui 20 anos o Home Equity representará 20% do PIB brasileiro.

Desse modo, as autorizações para uso de contratos de Home Equity na emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) e a possibilidade de utilizar o mesmo imóvel como garantia em mais de um contrato de dívida são essenciais para tornar a operação mais interessante para a população.

A propósito, existe um projeto de lei que permite que o mesmo imóvel seja usado como garantia em mais de um empréstimo. Foi aprovado pela Câmara dos Deputados e agora o projeto segue para aprovação no Senado.

A proposta pretende instituir um novo marco das garantias e ainda criar um serviço de gestão especializada de garantias por meio das Instituições Gestoras de Garantia (IGGs) que serão regulamentadas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Onde fazer empréstimo com garantia de imóvel?

Com a expansão das fintechs, o Home Equity se tornou cada vez mais acessível e popular. A facilidade e agilidade nos processos são os principais atrativos.

Em primeiro lugar, faça uma simulação. Desse modo, você vai ter uma ideia dos valores das parcelas.

SejaBest possui várias parcerias e por isso oferece taxas de juros mais baixas. O atendimento personalizado garante uma ótima experiência ao cliente. Desse modo, é possível tirar dúvidas a qualquer hora do dia, todos os dias da semana.

Para mais detalhes sobre o processo do Home Equity, assista o vídeo a seguir:

Tem interesse no Home Equity?

Simule aqui

Subscribe To Our Newsletter

Get updates and learn from the best

destaques

Agenda econômica da semana

Agenda econômica da semana

Leia em 2 minutos A agenda econômica da semana está menos movimentada. O destaque é a Ata do Fomc, que poderá elevar os juros da economia americana

Quero comprar

um imóvel.

Quero empréstimo
usando meu imóvel.