O que é refinanciamento imobiliário? Vale a pena?

Credito com garantia de imóvel.

O que é refinanciamento imobiliário? Vale a pena?

Refinanciamento imobiliário nada mais é do que colocar o seu bem (imóvel) como garantia, em troca disso você consegue até 60% do valor avaliado do seu imóvel, esse tipo de empréstimo possui taxa de juros mais baixas em relação a outros empréstimos, isso acontece porque como o próprio nome já diz: você deixa o seu imóvel como garantia para o banco, então as chances de você pagar esse empréstimo é grande, pois caso você fique inadimplente e atrase os pagamentos o seu imóvel pode ir para leilão.

Olá, eu sou Allan Almeida, gestor de Marketing da Best, e nesse artigo vou compartilhar com você um pouco do que é refinanciamento imobiliário. Sim, vale muito a pena escolher por esta modalidade de crédito, e no decorrer do texto você entenderá o por quê. Vamos lá?

 

Refinanciamento imobiliário é seguro e confiável?

O Refinanciamento imobiliário é uma das modalidades mais seguras e confiáveis do mercado financeiro, pois ela é estruturada por instituições que precisam estar autorizadas e dentro das regulamentações impostas pelo Banco Central. Além de ser um produto extremamente regulado, ele passa por etapas criteriosas como análise de crédito, avaliação da garantia, análise jurídica e depois passa pelo registro de imóveis (cartório competente) que analisa se está tudo de acordo para de fato fazer a alienação a favor da instituição, que ao fim após concluído, é liberado o recurso para você. Portando é extremamente seguro, porém deve-se procurar empresas sérias e que atuem dentro das regulamentações impostas pelo Banco Central.  

Credito com garantia de imóvel.

 Quais as vantagens do refinanciamento imobiliário?

  • Juros mais baixos

Como é um empréstimo com garantia de imóvel, e você deixa o seu bem como garantia que cobre o valor da dívida e acaba diminuindo o risco do credor que está emprestando o recurso, pois em caso de não cumprimento a possui para em última instância ser liquidada para saldar a dívida, isso justifica o motivo da taxa de juros ser menor.

  • Valores de empréstimo altos

Diferente de linhas sem garantia, nesta modalidade o valor varia e pode chegar até em 60% do valor do imóvel. Porém os bancos fazem uma análise do valor que está sendo solicitado no empréstimo, calculando o valor das parcelas e ajustando a renda mensal do solicitante. Além deste fato, o prazo de amortização deste tipo de modalidade é de até 20 anos, deixando o valor de parcela mensal baixo, facilitando a comprovação de renda e junto isso transformando viável a possibilidade de fazer um empréstimo de alto valor.

  • Imóvel não precisa estar no seu nome

Uma vantagem existente para este produto é que se caso você não possua um imóvel disponível em seu nome, você pode utilizar o imóvel em nome de outra pessoa, desde que seja de comum acordo e legalmente acertado. Isso se torna uma boa alternativa, pois podem unir pessoas em busca de um crédito de qualidade, dividindo a responsabilidade, ou até mesmo ajudando a viabilizar a operação para a pessoa que não possui o bem mas possua renda e crédito suficiente para aprovar o valor pretendido.

  • Um empréstimo para imóvel já financiado.

Possui um financiamento ou crédito ativo no imóvel e precisou de mais uma grana? Não se preocupe, desde que o empréstimo atual ativo do imóvel não seja maior que 60% do valor de mercado, você pode fazer uma nova operação, quitando saldo e pegando um troco. Essa modalidade chamamos de IQ (interveniente quitante) quando um banco quita o outro, assume o imóvel e concede mais um valor ao proprietário. Explicaremos mais adiante em detalhes. Mas esse é um grande diferencial e que nem todas pessoas tem conhecimento a respeito desta possibilidade.

Posso fazer portabilidade ou trocar de banco?

A Portabilidade de Crédito consiste em uma operação que a pessoa transfere o restante de sua dívida de empréstimo para outra instituição financeira. Para isso, antes de tudo, é necessário que haja um consenso entre as duas empresas de crédito e um procedimento padrão, respeitando algumas regras e, consequentemente, um acordo financeiro entre elas para a quitação do empréstimo.

Com isso, a instituição financeira que assumiu a dívida negocia com o cliente uma forma de pagamento obrigatoriamente e as regras que mencionamos é: Respeitar o saldo devedor atual, ou seja, não pode pegar troco, não pode aumentar o prazo de parcelas restantes a serem pagas e não podem ser incluídas despesas bancárias em uma nova operação de portabilidade. Esta opção é bem burocrática e pode se tornar menos vantajosa, por isso no produto de refinanciamento é mais indicado fazer a operação de IQ (Interveniente quitante) que iremos explorar no próximo tópico.

O que é interveniente quitante?

O Interveniente Quitante nada mais é que uma instituição “intervir“ quitando a outra. A nova instituição que irá lhe conceder alguma nova vantagem, que pode ser, um valor maior, uma taxa menor, um prazo mais longo para pagamento, entre outros pontos vai quitar a dívida atual e assumir a nova operação com o cliente.

A lei define que nenhum bem imobiliário pode estar sob alienação fiduciária de imóvel a duas empresas ao mesmo tempo, portanto, será necessário finalizar a primeira operação de crédito. Por isso precisa quitar o empréstimo atual para ser feito a nova operação.

Em suma, funciona semelhante a uma portabilidade, mas de forma mais simples e flexível, pois a regra é o atual quitar o antigo, não precisando seguir as regras de portabilidade que mencionamos no tópico acima.

Quais cidades os bancos refinanciam imóveis?

Os bancos são bem restritos na área de atuação, a maioria solicita que a cidade tenha mais de 100 mil habitantes ou uma agência próxima (em um raio de até 100Km), mas não desanime se sua cidade não possui 100 mil habitantes, existe a possibilidade de você conseguir o empréstimo, tudo vai depender do fator liquidez, que é o quão bom é seu imóvel e se seria uma garantia de fácil venda em caso de uma possível inadimplência, se for o caso de seu imóvel ter essa característica positiva, é possível que seja flexibilizado e seja aceito para você conseguir o crédito. Adicional a isso, o fator crédito, quão bom é seu crédito com o mercado, pois se você é um bom pagador e tem uma boa garantia, suas chances estão em alta.

Quais bancos fazem refinanciamento de imóveis?

  1. Best (Multibancos);
  2. Caixa econômica federal;
  3. Bradesco;
  4. Itaú;
  5. Santander;
  6. Banco Inter;
  7. BV Financeira

O mais indicado é você fazer uma boa pesquisa e se possível contar com a ajuda de um especialista e se for o caso de uma fintech especialista com diversas opções, melhor ainda, suas chances se elevam pois poderá encontrar mais de uma opção no mesmo lugar..

Meu imóvel tem dívidas, posso refinanciá-lo?

Dívidas de IPTU

Pode, mas o indicado é estar em dia, ou pelo menos ter um parcelamento da dívida, mas isso não significa que não pode. Algumas instituições propõem inclusive, pagar isso vinculado ao crédito a ser liberado, antecipando o pagamento e descontando do montante que o cliente terá a receber. Porém, são analisados em caráter de exceção e isso pode atrapalhar o processo, atrasando a agilidade e aumentando a carga de burocracia. Sem esquecer, que nem todas instituições fazem isso, por isso é importante a ajuda de um especialista para poder te ajudar a escolher a opção que se adeque ao seu perfil, desta forma sendo mais assertivo as suas necessidades.

Dívidas de outros bancos

Conforme explicamos nos tópicos acima, é possível sim, atráves da operação de Interveniente quitante, onde o novo banco que irá lhe conceder o empréstimo irá liquidar a divida atual para deixar a garantia liberada para alienar a seu favor.

 Posso usar o dinheiro como bem entender?

Uma vantagem dessa modalidade de crédito é que o cliente poderá utilizar o dinheiro da forma que quiser, ou seja, de uso livre. Por isso, é muito buscado para quem pretende investir, ampliar seu negócio atual, abrir um novo, expandir, levantar capital de giro entre outras alternativas. Também é muito utilizado para realizar um sonho ou objetivo, pagar uma faculdade, realizar o casamento tão sonhado ou até aquela viagem tão esperada.

Essa regra só muda em uma ocasião, para o cliente que precisa reestruturar suas dívidas, mas a regra muda por um excelente motivo, este cliente vai pagar empréstimo mais caros, taxas altas, prazo curto, acúmulo de juros e contratar um refinanciamento com as taxas baixas, longo prazo e concentrar todos em uma única e nova parcela. Por que é diferente? Pois se o cliente estiver endividado não possibilitando assumir uma nova parcela, a instituição aprova condicionando o pagamento de todos empréstimos (ruins) ativos que estão impossibilitando a contratação. Se esse é o seu caso, fique tranquilo temos um post especial e um vídeo muito bacana em nosso canal explicando tudo sobre a troca de dívidas atráves de um refinanciamento de imóvel.

Conclusão

 O refinanciamento imobiliário não é um bicho de sete cabeças, quando bem entendido, ele se torna a melhor modalidade de credito do mercado. Quer entender na pratica como funciona? Clique no botão abaixo.

Confira também:

Quero comprar

um imóvel.

Quero empréstimo
usando meu imóvel.