Refinanciamento Imobiliário – Entenda os processos

Leia em 3 minutos

Compartilhar Post

Refinanciamento Imobiliário – Entenda os processos

Os processos de refinanciamento imobiliário são simples. Começando pela pré-analise, passando pela avaliação do imóvel, analise de termos jurídicos, registro do imóvel e então a liberação do recurso.

Eu sou Allan Almeida, gestor de marketing da Best, e nesse artigo vou compartilhar com você os detalhes sobre os processos do refinanciamento imobiliário.

O que é refinanciamento imobiliário?

O refinanciamento imobiliário é ideal para aquelas pessoas que possuem um imóvel, querem e precisam apenas captar recursos para diversos fins, sendo os principais hoje: quitação de dívidas e investimentos. Nessa modalidade de empréstimo, é permitido que haja restrições, desde que o valor comporte esse novo endividamento. Para esse tipo de operação de crédito é recomendado para pessoas que procuram um capital, ou até mesmo que buscam reduzir os custos e deixar de optar por alguns empréstimos que possuem taxas de juros bem mais altas. A taxa média do refinanciamento imobiliário encontra-se entre 1,1% até 1,98% ao mês, variando em pré e pós fixadas. Para essa modalidade, o percentual máximo que você poderá obter é de no máximo 80% do valor total do imóvel, porém existindo divergência de informação, ou até mesmo após a vistoria esse valor de 80% pode ser ajustado.

Credito com garantia de imóvel.

Como funciona o Refinanciamento imobiliário?

Uma curiosidade sobre o refinanciamento imobiliário, é que seu imóvel não precisa estar quitado, pois é permitido ser feito o que chamamos de IQ (interveniente quitante), contanto que seu saldo devedor não ultrapasse 50% do valor da residência.

Refinanciamento imobiliário vale a pena?

Quais são as etapas do processo refinanciamento imobiliário?

  • Pré-análise:

A primeira etapa do refinanciamento imobiliário é a pré-analise, onde os analistas verificarão qual o seu comprometimento de renda mensal, isso ocorre porque a prestação não pode comprometer 35% do seu ganho, por conta disso, é analisada sua documentação pessoal e profissional.

Os analistas verificam quais são seus endividamentos para verificar se você tem margem disponível ou não para realizar o crédito. Alguns credores e fundos aceitam condicionar as dívidas apuradas, fazendo uma espécie de troca, diminuindo seu comprometimento e centralizando sua dívida em um único banco, pagando uma única prestação.

A consulta é realizada, pelo BACEN, um órgão responsável pela fiscalização e regulamentação de produtos e assuntos que envolvem as instituições financeiras. Lá, eles podem acessar não somente seu endividamento, mas também seu histórico financeiro, incluindo atrasos de pagamentos.

  • Avaliação do imóvel:

A segunda etapa do crédito tem relação com o seu imóvel, o mesmo passará por uma avaliação, onde uma pessoa responsável verificará se o valor do imóvel é equivalente ao valor informado na proposta. Na vistoria é levado em consideração também, o metro quadrado da região e a amostragem.

  • Jurídico e Emissão de CCB (contrato):

Na terceira etapa é verificado se existe alguma ação vigente que possa recair sobre o imóvel, ou seja, sobre a garantia que você está oferecendo para conseguir o crédito. A equipe jurídica realiza a consulta de bases Federais e Municipais, se a resposta for positiva, e for confirmado que existem processos ativos, a proposta infelizmente é declinada, ou seja, negada. Porém se não houver nada ativo, é emitido o contrato de alienação fiduciária (alienação fiduciária é um modelo de garantia de propriedades, móveis ou imóveis, que se baseia na transferência de bens como pagamento de uma dívida, a partir de um acordo firmado entre o credor e o devedor)

  • Registro de Imóveis:

Após a realização de todas as etapas acima, o seu contrato é encaminhado ao registro de imóveis, onde é realizada a alienação do imóvel de acordo com as cláusulas estabelecidas na Cédula de Crédito Bancário. O prazo varia de acordo com cada registro de imóvel e também com a região, mas em média leva em torno de 30 dias.

  • Liberação do Recurso:

Após a devolução do contrato pelo registro de imóveis, a sua documentação volta para o banco, onde é conferida e o seu pagamento é programado.

Qual o prazo médio?

Ao todo, o prazo médio do crédito é de 40 a 45 dias, porém isso varia de acordo com cada processo.

O refinanciamento imobiliário vale a pena?

Mas a pergunta final agora é: refinanciamento imobiliário vale a pena? Esse modelo de financiamento conta com as menores taxas, devido ao tempo e a segurança que o contratante passa ao contratado (bancos) Tendo isso em mente, de todas as modalidades existentes no mercado financeiro, sem duvida essa é a melhor.

Ficou com alguma duvida sobre os processos do refinanciamento imobiliário? Que tal entender na pratica como funciona?

https://seja.best/portal/credito/o-que-e-refinanciamento-imobiliario-vale-a-pena/

Confira o artigo completo sobre:

Subscribe To Our Newsletter

Get updates and learn from the best

destaques

Previsão inflação 2023

Previsão de inflação 2023

Leia em 2 minutos O Copom divulgou uma nova previsão da inflação para 2023 e 2024. Além disso, o Banco Central não descarta novo aumento da Selic.

IPCA-15 SETEMBRO

IPCA-15 de setembro registra deflação

Leia em 2 minutos Confira o IPCA-15 de setembro, a prévia da inflação divulgada pelo IBGE. Saiba quais grupos tiveram alta e quais reduziram os custos.

Quero comprar

um imóvel.

Quero empréstimo
usando meu imóvel.