Refinanciamento imobiliário – Quem pode solicitar?

Quem pode solicitar essa opção de credito imobiliário?

Refinanciamento imobiliário – Quem pode solicitar?

Sendo a modalidade mais em conta do mercado de crédito, por envolver uma garantia sólida, esta opção é muito democrática, sendo ela disponível para as pessoas físicas e jurídicas que possuam um imóvel em seu próprio nome para dar em garantia em contrapartida do empréstimo.

Olá, eu sou Allan Almeida, gestor de Marketing da Best, e nesse artigo vou compartilhar com você sobre quem pode solicitar o refinanciamento imobiliário, quais são os documentos e categorias profissionais que são aceitos dentro dessa modalidade de credito imobiliário. É muito simples de entender o passo a passo. Vamos lá?

Quem pode solicitar o Refinanciamento imobiliário?

O refinanciamento imobiliário, pode ser solicitado por pessoas físicas ou jurídicas que possuam o imóvel para dar em garantia. Os critérios de cada instituição financeira podem variar de acordo com políticas próprias, mas no geral são parecidos, vamos dividir por tipo de pessoa:

 Para pessoas físicas:

  • Pessoas com no mínimo 18 anos;
  • Ter casa própria ou pelo menos parcialmente quitada. Mas também é possível alienar o bem de for de algum parente de primeiro grau (pais, esposa, marido, filhos, irmãos.);
  • Possuir renda mensal comprovada;
  • Declarar imposto de renda
  • Em caso de empresário, que queira usar o imóvel pessoa física, é possível coobrigar a renda de sua empresa para ajudar na concessão do empréstimo.

Para pessoas jurídicas:

  • O Cnpj ter mais de dois anos desde a sua constituição
  • O imóvel estar em nome da empresa, ou até mesmo de um dos sócios.
  • Declarar imposto de renda
  • Ter faturamento comprovado e assinado pelo contador
  • Ter os balanços, balancetes e DRE`s em dia (algumas instituições não exigem) importante consultar.

Quais os documentos necessários para solicitar o refinanciamento imobiliário?

Documentação Pessoal: A primeira fase do processo é relacionada com a análise de renda das pessoas que entrarão na renda da operação, para isso, é necessário apresentar:

  • Documento de Identificação: Pode ser seu RG e CPF, bem como sua CNH também e é importante que o documento esteja dentro da validade e principalmente, legível.
  • Comprovante de Residência: Para este tipo de comprovante, são aceitas contas de consumo, como por exemplo: telefone, luz ou água. O vencimento máximo da fatura deve ser de até 30 dias.
  • Certidão Civil atualizada: Se você é solteiro, deverá apresentar sua certidão de nascimento e informar se possui união estável ou não. Caso positivo e havendo documento comprobatório da união, poderá fornecer junto à de nascimento.

       Se você for casado, deverá apresentar a certidão de casamento constando o regime de seu casamento – Podendo ser ele:

  1. Comunhão total – tudo que é seu é de seu cônjuge também, independente se adquirido antes ou após o matrimônio;
  2. Comunhão Parcial – tudo que você e seu parceiro adquiriram após o matrimônio são de posse dos dois;
  3. Separação total de bens – que o próprio nome já especifica cada um é responsável pelos seus bens e, neste caso, geralmente há o registro de um pacto antenupcial, o que não é obrigatório.

       Agora, se você for divorciado, deverá apresentar sua certidão de casamento com a averbação de divórcio.

      Mas e se eu não tiver esse documento. E agora? Não tem problema! Você pode solicitar junto ao cartório civil de sua cidade, em alguns Estados é emitido na hora, em outros, pode levar até 05 dias úteis.

  • IRPF (Declaração de imposto de renda com recibo de entrega):

       A declaração do imposto de renda é aquele informe de rendimentos que entregam a receita federal uma vez ao ano. Geralmente, são orientadas e feitas com o auxílio de um contador, com competência do ano vigente e calendário do ano anterior. Junto à declaração, é fornecido um recibo de entrega com uma chave comprobatória do feito. Ali constam suas principais informações, tanto de renda quanto patrimoniais.

      Ao que diz respeito à renda dos envolvidos na operação, temos algumas variáveis, pois são aceitos tanto assalariados quanto autônomos, empresários, profissionais liberais e aposentados…

Credito com garantia de imóvel.

Refinanciamento imobiliário para assalariados:

  • Seus últimos 03 holerites;
  • Cópia da sua CTPS (carteira de trabalho) constando sua foto, qualificação civil, registro de trabalho e alterações salariais caso haja alguma no decorrer do contrato.

       Aqui temos um ponto de atenção que, caso seu holerite e sua carteira não estejam de acordo, o banco poderá solicitar seu extrato de FGTS para comprovar os valores de crédito, certo?

Refinanciamento imobiliário para profissionais liberais:

  • Sua carteira profissional (OAB, por exemplo);
  • Extrato bancário dos últimos 06 meses – para que possam analisar seu rendimento mensal – pode ser retirado via internet banking, é rápido e a qualidade dos arquivos é excelente, precisa ser em PDF, excel ou prints não são aceitos.

Aposentados, basta:

  • Último contracheque do benefício (que pode ser retirado pelo site da previdência);
  • Extratos bancários dos últimos 03 meses constando o crédito do recurso.

Refinanciamento imobiliário para os autônomos:

  • Declaração próprio punho descrevendo detalhadamente como comprova sua renda;
  • Extratos bancários dos últimos 06 meses para comprovar a renda informada;

Refinanciamento imobiliário para os empresários:

  • Cópia do IRPJ (declaração de imposto de renda da pessoa jurídica) do exercício vigente;
  • Faturamento dos últimos 12 meses;
  • Cópia da última alteração contratual consolidada da empresa;
  • Extratos bancários dos últimos 06 meses;

       Obs.: Quando falamos de documentação de empresas, é natural que precise da ajuda do seu contador, afinal, são documentos que ele tem de fácil acesso e poderá lhe fornecer tranquilamente.

Preciso apresentar mais alguma documentação para conseguir o refinanciamento imobiliário? 

Sim, como se trata de um crédito com garantia de imóvel, você precisa comprovar também as informações do imóvel. Para isso, veja o que precisa ser apresentado:

  • Matrícula do imóvel atualizada – A matrícula é a certidão de inteiro teor do imóvel, pode ser solicitada junto ao registro de imóveis onde o bem se encontra registrado. Ali, diferente da escritura pública, consta todo o histórico do imóvel desde sua fundação. Todos que já foram proprietários, a averbação da construção do terreno, se já houve alguma penhora, alguma ação… E assim por diante. É o documento fundamental desta modalidade! Em alguns estados o documento é emitido na hora, em outras demandas alguns dias e tem um custo aproximado de 40,00 a 80,00 reais.
  • Cópia do espelho ou carnê de IPTU do ano vigente – Essa solicitação se faz para que possam junto à matrícula, verificar a metragem que consta no documento é a correta, mesmo que o imóvel vá passar por uma vistoria, a divergência das áreas faz com que seja necessária a regularização para que não prejudique a efetivação do seu crédito.

Fiz uma reforma e não averbei, e agora?

O que ocorre, é que alguns bancos aceitam uma área de divergência de até 30% do seu imóvel, se o problema de metragem for ao IPTU, basta ir até a prefeitura e solicitar a correção, se for à matrícula, pode ser um pouco mais demorado e poderá inclusive, ter custo…

  • Fotos do imóvel – Fachada e dependências internas. Novamente, estamos falando de uma garantia, ou seja, a estrutura do bem a ser alienado é essencial e assim como sua capacidade de pagamento, também será analisado.

Qual a renda mínima para solicitar o refinanciamento imobiliário?

       Para a contratação do refinanciamento de imóvel o comprometimento de renda é de até 35% da sua renda mensal, o melhor é que você pode compor renda com outra pessoa para aumentar suas chances de aprovação, se você tem imóvel, ou algum familiar que concorde que você utilize o seu imóvel para dar como garantia na operação e tem como comprovar sua renda, esse é o crédito ideal para você que quer ter um prazo longo, taxa de juros pequena e uma parcela que cabe no seu bolso.

Qualquer pessoa que possua renda de R$ 3.500,00 mensais, podendo ser esta renda composta por até duas pessoas, pode solicitar o crédito, o tipo de comprovação de renda é facilitado, então se você é assalariado ou funcionário público, é só apresentar seus contracheques, popularmente chamado de holerite.

Ainda ficou difícil de entender como solicitar o refinanciamento? Que tal fazer o teste na pratica?

https://seja.best/portal/credito/o-que-e-refinanciamento-imobiliario-vale-a-pena/

Confira também esse artigo sobre os processos, passo a passo do refinanciamento imobiliário:

Quero comprar

um imóvel.

Quero empréstimo
usando meu imóvel.