Empreendedorismo – um guia para ser dono do seu negócio

Leia em 15 minutos
Empreendedorismo Brasil
O empreendedorismo está nas veias da maior parte da população brasileira. Saiba tudo sobre o assunto e abra seu próprio negócio.

Compartilhar Post

Uma coisa é certa, o empreendedorismo cresce cada vez mais no Brasil. Antes era um sonho e hoje muitas pessoas já conseguem viver com a renda do seu próprio negócio.

Para isso, é preciso alinhar o que se gosta e o quanto seu negócio pode contribuir na vida das pessoas – ou o quanto elas precisam do seu produto. É claro que é preciso também persistir, mesmo encontrando dificuldades pelo caminho.

Empreender requer muita coragem e resiliência.

Neste artigo você poderá acompanhar várias dicas para montar seu próprio negócio, além de saber quais as tendências para o próximo ano.

O Brasil é visto como um dos países com mais empreendedores do mundo, pois de acordo com o monitoramento de empreendedores do Brasil feito pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM), em 2021 o país ocupou o 5º lugar no ranking global na taxa de empreendedorismo total.

Em primeiro lugar, você sabe qual é o perfil de um empreendedor? Confira as principais características.

Perfil de um bom empreendedor

Como já mencionado anteriormente, um empreendedor contribui positivamente na sociedade. Sendo assim, acompanha as necessidades das pessoas e oferece o produto e/ou serviço conforme a demanda.

Portanto, um bom empreendedor é curioso e criativo.

Saiba quais são outras características de um bom empreendedor abaixo:

1 – Visão empreendedora

Estar antenado a tudo que acontece é essencial! Por conta disso, muitos empreendedores têm mais de um projeto em andamento, pois identificam oportunidades e já colocam em prática.

2 – Iniciativa

É preciso estar atento às oportunidades e colocar as ideias em ação. Não adianta ficar esperando o momento ideal, pois muitas vezes é preciso agir para que as coisas se movimentem.

3 – Persistência

Todo caminho de sucesso possui obstáculos e dificuldades. Não se deve deixar abater em momentos difíceis. Pelo contrário, use os desafios como uma motivação e assim terá mais chances de atingir o sucesso.

4 – Planejamento

É preciso estar atento e planejar toda e qualquer situação que possa ocorrer. Analisar e monitorar resultados ajudam o empreendedor a entender melhor seu negócio, buscando melhorias.

5 – Autoconfiança

A credibilidade é essencial para um empreendedor. Ter conhecimento aprofundado sobre o negócio passa maior confiança para clientes e fornecedores, sendo assim consegue melhores negociações.

6 – Liderança

Para ser um bom líder é preciso saber se colocar no lugar do outro. Motivar e confiar é a melhor maneira de desenvolver o papel de liderança com sabedoria.

Agora que você já sabe as principais características de um empreendedor, identifique quais são seus pontos fortes e trabalhe seus pontos fracos, assim conseguirá desenvolver um perfil de sucesso.

Já está pronto para abrir seu próprio negócio? Confira dicas que vão te ajudar a realizar esse sonho!

Empreendedorismo: 6 dicas para abrir seu próprio negócio

Empreendedorismo
1 – Identifique o perfil empreendedor em você

Acima você já descobriu as características de um empreendedor. É hora de analisar se você se encaixa nesse perfil. Claro que é possível desenvolver alguns pontos que você sabe que precisa melhorar.

Então busque conhecimento, converse com pessoas que te inspiram e desenvolva as habilidades necessárias.

2 – Escolha o nicho que irá atuar

Na hora de escolher o nicho, é importante levar em consideração o que você gosta de fazer e o que você tem habilidade.

Muitas vezes a pessoa faz bolo como hobby e isso pode ser uma grande oportunidade de negócio. Assim como alguém tem afinidade com o nicho fitness e resolve abrir uma loja de suplementos online.

As oportunidades são muitas e sempre existe um ramo que você se identifica mais. Pesquise e decida qual será a área que irá atuar.

3 – Reúna as informações necessárias

Depois de escolher o nicho, se aprofunde nas pesquisas. É importante coletar informações e também pesquisar dados sobre o mercado, finanças, marketing, além de buscar um local para seu empreendimento (no caso de uma loja física, por exemplo).

Fazer um levantamento de todas as informações facilitará o processo e você não ficará “perdido” no meio do caminho.

4 – Organize-se

Depois de reunir as informações necessárias é hora de organizá-las para montar seu plano de negócio.

Identifique tudo que precisa ser feito e comece a agir!

Muitas vezes é preciso ter em mente que nem tudo sai como planejado, mas sempre tente seguir uma estratégia inicial.

5 – Como conseguir recurso para abrir seu negócio

Muitas pessoas deixam de lado o sonho de ter seu próprio negócio por não ter dinheiro para investir. Saiba que existem alternativas que podem te ajudar e muito nessa etapa.

Uma das melhores opções de crédito hoje é o Home Equity, o famoso empréstimo com garantia de imóvel.

Essa modalidade possui diversas vantagens como taxas de juros mais baixas, prazo estendido para pagamento e a possibilidade de pegar um alto valor sem especificar sua finalidade.

6 – Coloque os planos em ação

Quando tudo estiver encaminhado, coloque em ação! Registre seu negócio e comece sua jornada como empreendedor.

Importante lembrar que nem tudo são flores, mas o sonho de ser um empreendedor de sucesso está acima de qualquer dificuldade.

Apenas comece e os caminhos irão se abrindo!

É claro que todo mundo que abre o próprio negócio sonha com o sucesso do seu empreendimento. Pensando nisso, reunimos 15 dicas de como fazer esse sonho virar realidade.

Confira as dicas para ter um negócio de sucesso:

negócio de sucesso
1 – Ter uma proposta de negócio

Em primeiro lugar tenha muita clareza do papel da sua empresa na sociedade, quais problemas ela irá resolver e qual será seu impacto social.

Uma empresa não é apenas um produto ou serviço, mas sim valores que proporcionam experiências. Com certeza você quer que seu cliente tenha a melhor experiência possível, por isso a importância da missão, visão e valores.

2 – Viabilidade do negócio

Aqui você deve se perguntar se há demanda para o seu produto ou serviço.

Se você pretende vender um produto, os custos são viáveis? E a longo prazo, você enxerga oportunidades futuras?

Para um negócio ter sucesso ele precisa se sustentar e trazer resultados independente do tempo e das adversidades.

3 – Capacitação

Para sair na frente de seus concorrentes, adquira o máximo de conhecimento que puder. Busque informações que possam agregar no seu negócio.

Com esses dados, construa um plano de negócios, identificando oportunidades e prevendo erros.

4 – Crie um plano de negócio

Organizar-se e montar o plano de negócio é essencial para o sucesso da sua empresa.

Mais à frente iremos ensinar como elaborar um bom plano de negócios em 8 passos simples. Acompanhe.

5 – Conheça bem o seu nicho

Se dedique em pesquisar o seu nicho de mercado. Dessa forma, poderá criar estratégias mais assertivas, além de ter uma maior clareza das oportunidades.

Conhecer a sua área de atuação e o comportamento do seu cliente faz com que você tenha mais jogo de cintura na hora da tomada de decisão.

6 – Entenda seu público-alvo

Essa é uma das principais dicas para ter sucesso no seu negócio. Conheça sua audiência, seu cliente e os possíveis clientes.

Entenda quais são as necessidades do seu público, assim chegará mais rápido até ele, fazendo com que ele se encante pelo seu produto ou serviço.

Para isso, você pode criar uma persona – personagem fictício do cliente ideal – que irá te ajudar a analisar futuros comportamentos do seu consumidor.

7 – Finanças

Cuide da saúde financeira da sua empresa. Não perca o controle quando sua empresa chegar a um determinado nível, continue sempre mantendo um determinado teto de salário, sem meter os pés pelas mãos.

Para isso, faça um planejamento financeiro para evitar problemas no caixa da empresa. Assim você consegue controlar seus ganhos e gastos, garantindo que seu negócio permaneça estável.

8 – Cliente como prioridade

Procure sempre proporcionar a melhor experiência para o seu cliente, essa é a melhor forma de fidelizá-lo e garantir que ele irá falar bem do seu serviço ou produto para outras pessoas.

9 – Defina metas

Tenha metas claras e objetivas. Definir metas realistas é o segredo do sucesso!

É claro que todo empreendedor quer ver seu negócio crescendo cada vez mais, mas dê tempo ao tempo. Observe o mercado, a economia e aí sim, vá definindo metas mais ousadas.

10 – Informe-se sempre

Não tem como planejar sem saber como está o mercado e quais as previsões para cada área. Por isso esteja sempre atento a todo tipo de informação.

Acompanhe sempre as novidades, saiba sobre a economia do Brasil e do mundo, leia ou assista conteúdos que vão agregar conhecimento.

11 – Analise a concorrência

Pesquise sobre seus concorrentes para saber como atuam, quais são seus pontos fortes e fracos, assim você poderá definir estratégias mais assertivas.

Entendendo como seus concorrentes se posicionam no mercado, você poderá identificar o seu diferencial e trabalhar fortemente nesse ponto estratégico.

12 – Identifique seu diferencial

Aproveitando o gancho do tópico anterior, é de extrema importância identificar seu diferencial e trabalhar reforçando esse ponto.

Não se trata apenas de um produto ou serviço diferenciado, mas toda a jornada de consumo, pois é isso que vai fidelizar o cliente.

13 – Escolha boas parcerias

Na medida que seu negócio vai avançando, é essencial ir em busca de boas parcerias como fornecedores, vendedores afiliados, digital influencers, entre outros.

Seja cauteloso na hora de contratar profissionais, pois essas pessoas irão impactar diretamente na imagem da sua empresa.

14 – Mostre o valor do seu negócio

O valor que queremos ressaltar aqui é a experiência que o seu negócio proporciona. Logo, tudo é levado em consideração, até mesmo a sua posição em relação a algo.

Com as mídias sociais, o público está cada vez mais próximo das empresas, o que gera um engajamento muito positivo.

As pessoas buscam por produtos e serviços que estejam alinhadas com os seus princípios, envolvendo questões mais profundas. Por isso elaborar um discurso direcionado ao seu público é essencial para o sucesso.

15 – Seja resiliente

Percorrendo o caminho do sucesso, você verá que ser resiliente é uma virtude. Saiba que nem tudo sairá como planejado e terá que reajustar alguns detalhes.

Sempre será possível contornar uma situação, portanto quando surgir um obstáculo, não desista. Apenas seja flexível e mude algumas coisas para que possa seguir adiante.

Plano de negócio no empreendedorismo

Plano de negócio

Mas, afinal o que é um plano de negócio?

Nada mais é que um guia que irá pontuar metas, datas e todos os detalhes importantes de como atingir objetivos, trazendo um retrato fiel do mercado, do produto e do empreendedor. Além disso, diminui os riscos e as incertezas do negócio.

Mas lembre-se que esse plano é mutável, ou seja, ao longo da jornada é possível mudar algumas direções. Resiliência sempre!

Confira 8 passos simples para montar um plano de negócio:

1 – Sumário Executivo

É um resumo inicial do seu negócio, uma breve apresentação. Basicamente deve abordar:

  • Descrição da empresa;
  • Quem são os empreendedores;
  • Quais produtos ou serviços são oferecidos;
  • Qual é o mercado de atuação;
  • Localização da empresa;
  • Missão;
  • Forma jurídica e enquadramento tributário;
  • Qual será o investimento inicial necessário.
2 – Análise de mercado

Aqui é importante analisar se existe demanda para o produto ou serviço em questão e tentar mensurar qual o tamanho dessa demanda.

É importante também estudar o público-alvo para saber exatamente quem irá comprar, com qual frequência e o que leva a pessoa a consumir tal produto/serviço. Anote também faixa etária, estilo de vida, nível social, renda e tudo mais que pode definir o seu público.

É claro que existem casos raros de produtos que acabam “caindo na graça” do público num geral e aí acontece o sucesso repentino.

Além disso, identifique quais são as tendências de mercado. Fique de olho nas mudanças que estão acontecendo com seu público, pois é aí que pode surgir uma nova oportunidade.

Analise também se seu nicho está em constante crescimento ou está estagnado.

Como já falamos anteriormente, estude seus concorrentes para que você possa encontrar um diferencial e se destacar no mercado.

Pesquise fornecedores e construa boas parcerias que te ajudarão a atingir os objetivos. Afinal, seus fornecedores permanecerão com você nessa longa jornada.

3 – Plano de Marketing

Elabore a construção e divulgação do seu serviço ou produto. Dessa forma, já decida qual será o seu posicionamento no mercado.

4 – Plano Operacional

Determine como seu negócio irá funcionar, descrevendo equipe, estrutura física ou digital, capacidade de produção e tempo necessário para cada etapa.

5 – Plano Financeiro

Defina qual será o investimento inicial, qual é o capital de giro, quais os custos operacionais, faturamento mínimo para não gerar prejuízo, qual será o retorno sobre investimento (ROI) e como serão os demonstrativos de resultados.

6 – Construção de cenários

Para avaliar a capacidade d seu negócio, construa cenários e simulações de mercado para projetar respostas em diversas situações, positivas e negativas.

7 – Avaliação estratégica

Importante avaliar ambientes internos e externos, a fim de identificar oportunidades e ameaças.

Além disso, tenha em mente as forças e as fraquezas do seu negócio fazendo a análise SWOT que vamos explicar mais à frente.

8 – Avaliação do plano de negócios

Por fim, avalie se seu negócio é viável ou não. Lembre-se que o mercado muda constantemente, então mantenha esse plano sempre atualizado com a realidade.

Como fazer análise SWOT?

Em primeiro lugar, entenda que fazer a análise SWOT é essencial para entender e conhecer melhor o seu negócio.

SWOT é uma abreviação das palavras em inglês strengthsweaknessesopportunities threats, que significam forças, fraquezas, oportunidades e ameaças, respectivamente.

É uma ferramenta prática que avalia ambiente interno e externo de uma empresa. O objetivo é encontrar caminhos para o crescimento do negócio.

A tabela SWOT se divide assim:

Análise SWOT

Acompanhe na tabela a seguir o que analisar em cada item:

O que é capital de giro?

Basicamente, capital de giro é o dinheiro necessário para manter e garantir a sobrevivência do seu negócio.

Capital de giro são todos os valores em caixa, depositados em contas bancárias e contas a receber, além de outras obrigações pendentes que podem ser convertidas em dinheiro para quitar despesas empresariais.

Desse modo, você consegue determinar os valores disponíveis para que a empresa cumpra seus deveres e faça novos investimentos, mesmo se enfrentar problemas como inadimplência de clientes ou queda nas vendas.

Garante, assim, a saúde financeira e facilita a gestão, permitindo a compra de equipamentos, manutenção do estoque, além de conseguir oferecer pagamentos a prazo para seus clientes sem que prejudique o orçamento.

Acompanhe a seguir os tipos de capital de giro:

  • Líquido: inclui os recursos financeiros da empresa, exceto os não circulantes (que não contam com liquidez), como bens e imóveis;
  • Neutro: significa que os recursos disponíveis e os débitos existentes são iguais. É preciso ter uma atenção especial e começar a gerar mais recursos;
  • Negativo: é um sinal de alerta e acontece quando os recursos disponíveis são insuficientes para quitar os débitos existentes;
  • Próprio: se refere ao capital disponível para a empresa, sem precisar de empréstimos;
  • Associado a investimentos: destinado a cobrir as despesas que a empresa terá ao fazer determinado investimento, como um empréstimo para adquirir equipamentos.

Como conseguir empréstimo para investir na sua empresa?

empréstimo empresa

Uma ótima alternativa para conseguir recurso para investir no seu negócio próprio é o Home Equity.

Com a expansão das fintechs, o Home Equity se tornou cada vez mais acessível e popular. A facilidade e agilidade nos processos são os principais atrativos.

Em primeiro lugar, faça uma simulação. Desse modo, você vai ter uma ideia dos valores das parcelas.

SejaBest possui várias parcerias e por isso oferece taxas de juros mais baixas. O atendimento personalizado garante uma ótima experiência ao cliente. Desse modo, é possível tirar dúvidas a qualquer hora do dia, todos os dias da semana.

Qual a diferença entre empresário e empreendedor?

Muitas pessoas se confundem na hora de entender a diferença entre empreendedor e empresário. Por isso, preparamos uma breve descrição para acabar com essa dúvida de uma vez por todas.

O empreendedor enxerga oportunidades que ninguém viu até o momento e sabe colocar novos planos em prática, seja abrindo um negócio ou concebendo um projeto. Sendo assim, a postura é focada na paixão por inovar e gerar riquezas e mudanças no cotidiano das pessoas.

Já o empresário até pode possuir algumas características do empreendedor, mas suas competências estarão sempre voltadas para a perpetuação do negócio. Muitos empresários compram ou herdam a empresa pronta e, assim, optam por administrá-la sem grandes inovações.

O que é CNPJ?

CNPJ é a sigla do Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas que nada mais é que um número registrado pela Receita Federal durante a abertura de uma empresa.

O seu principal objetivo é identificar e individualizar o negócio, a fim de acompanhar todas as suas movimentações financeiras e administrativas.

Esse registro funciona como um CPF para empresas, permitindo que o governo, outras empresas e pessoas possam identificar o negócio e acessar informações como:

  • Data em que foi aberta;
  • Nome empresarial, ou jurídico;
  • Nome fantasia, pelo qual as pessoas conhecem a empresa;
  • Descrição das atividades, principais e secundárias;
  • Código e descrição da natureza jurídica;
  • Endereço;
  • Contato, incluindo telefone e e-mail;
  • Situação cadastral.

É através do CNPJ que são realizadas as formalidades de uma empresa, que vão desde o pagamento de impostos, até emissão de notas fiscais e solicitação de crédito. 

Como administrar uma pequena empresa?

– Faça sempre o controle de fluxo do seu caixa

Faça o controle das entradas (vendas) e saídas (pagamentos) de dinheiro. Você pode elaborar planilhas no Excel para fazer esse controle.

Além disso, não misture o dinheiro da empresa com o seu. Muitas vezes, isso acaba acarretando a falência de empreendedores.

Para ter um acompanhamento mais certeiro, é indispensável ter um bom contador e fazer sempre o balanço contábil da empresa.

– Defina as responsabilidades dos funcionários

Um erro comum nas microempresas é não definir por escrito as responsabilidades dos funcionários, o que acaba gerando um problema difícil de se contornar. Tenha definido no contrato o horário de trabalho, quais as funções a serem desempenhadas e monitore isso.

– Tenha uma boa relação com os fornecedores

Desenvolva um bom relacionamento com seus fornecedores. Seja sempre cordial, pratique a empatia e o seu processo de negociação terá sempre resultados muito positivos.

– Promova um bom ambiente de trabalho

Quando o ambiente de trabalho é bom, os funcionários trabalham mais felizes e isso é percebido pelos seus clientes. Como líder, o seu maior desafio para administrar uma empresa é não transparecer preocupação ou medo para sua equipe.

Treine a equipe para o atendimento ao cliente

Não basta ter um produto de qualidade, os clientes querem viver uma experiência positiva durante a compra. Capacite a sua equipe, contratada ou freelancer, para que esteja apta a encantar o seu cliente. Lembre-se: o “boca a boca” continua sendo a maior propaganda para qualquer negócio.

– Invista em boas estratégias de marketing

Com a transformação digital, uma ótima alternativa é buscar parceiros que trabalhem o marketing online para sua empresa. Assim, o seu negócio vai marcar presença nas redes sociais da maneira correta.

Participar de feiras e eventos, principalmente aquelas específicas do seu setor, são grandes oportunidades para divulgar o seu negócio e captar mais clientes.

Como organizar as finanças básicas da sua empresa?

Organizar finanças
– Separe contas pessoais das empresariais

Não saber separar as contas pessoais das contas da empresa pode te levar à falência. Muitos empreendedores misturam as despesas pessoais e familiares com as contas da empresa, como se fossem uma coisa só. Isso é um grande erro.

– Defina custos, receitas e despesas

Custos – o custo de um produto é definido pelo preço da matéria-prima, o preço da mão de obra direta usada na sua produção, o preço da mão de obra indireta para manter a empresa aberta e o custo de amortização da maquinaria e do aluguel.

Receitas – a receita é tudo o que a empresa ganha com venda de serviços ou produtos. Essas receitas fazem parte do cálculo do lucro e representam o lado positivo da caixa. 

Despesas – a despesa inclui os gastos que não se identificam durante o processo de transformação ou produção dos bens e produtos. Toda despesa está relacionada ao valor gasto com a estrutura administrativa e comercial do negócio em questão.

– Fique atento aos prazos

O cumprimento dos prazos de pagamento da sua empresa, tanto de fornecedores, como de funcionários, ou de contas de manutenção do negócio, é algo que garante a saúde financeira e do empreendimento e uma boa gestão do fluxo de caixa. 

– Tenha o orçamento definido

Quando o empresário é guiado por um valor predefinido, ele consegue entender para onde está caminhando, quais ações pode fazer para alcançar aquilo mais rápido, ou em qual momento deve frear seus gastos para não sair do orçamento e prejudicar as finanças da empresa.

– Negocie melhores condições de pagamento

Negociar com fornecedores é uma forma de buscar economizar. O empresário pode fazer propostas de parcerias que sejam vantajosas para ambos os lados. Tudo isso visando condições melhores de pagamento.

– Faça gestão de fornecedores

Fazer a gestão de fornecedores significa manter um relacionamento com eles. Além disso, o empresário deve ter disciplina para planejar estrategicamente essas interações com pessoas de organizações externas à empresa, buscando melhorar essas  interações.

– Controle do estoque

O controle de estoque permite que a empresa seja capaz de prever o quanto em produtos será necessário comprar, como também ajuda a evitar desperdícios futuros. Sendo assim, é possível evitar prejuízos ou que faltem produtos para os clientes. 

– Registre as movimentações financeiras

É importante registrar o fluxo de caixa, anotando entradas e saídas para que tenha um controle exato de tudo. Para isso, elabore uma planilha no Excel.

Como calcular margem de lucro e a precificação de produtos

Margem de lucro
Margem de lucro

A margem de lucro é o percentual entre o lucro bruto e a receita total. Ou seja, é a porcentagem do preço de um produto/serviço que corresponde ao lucro do negócio.

Sendo assim, o lucro bruto pode ser considerado a diferença entre o seu faturamento obtido com as vendas dos produtos/serviços e os custos empresariais.

Já a margem de lucro bruto é um percentual obtido da relação entre a receita total e o lucro da sua empresa.

Também existe a margem de lucro líquida que é o valor final após abater todos os custos, como impostos, telefones, despesas com administrativo, entre outros.

Como calcular a margem de lucro?

Para calcular o lucro que seu negócio teve em determinado período, é preciso somar o seu faturamento total e subtrair tudo o que foi gasto para realizar os seus serviços.

A partir dessa informação, você já saberá qual a real situação do seu negócio. Para entendermos melhor, o cálculo da margem de lucro é feito por meio de uma fórmula simples:

margem de lucro = lucro bruto / receitas totais

Para entender melhor, vamos dar um exemplo de uma empresa que faturou R$ 10 mil em um mês e teve custos de R$ 5 mil no mesmo período.

  • Receita total: R$ 10.000
  • Custos: R$ 5.000
  • Lucro: R$ 10.000 – R$ 5.000 = R$ 5.000
  • Margem de lucro: R$ 5.000/R$ 10.000 = 0.5 x 100 = 50%

Através desse cálculo, podemos confirmar que a margem de lucro bruto da empresa foi de 50%.

Precificação do Produto

O preço de um produto deve ser alto o suficiente para gerar lucro. Sendo assim, deve equilibrar as despesas do negócio, estar na média dos preços do mercado, atingir o lucro almejado e ser atrativo para os consumidores.

Mas como fazer a precificação? Confira a seguir:

  • Calcule o custo por unidade

É preciso saber quanto você pagou por cada unidade do produto. Anote o custo da matéria-prima, o tempo de produção de cada unidade, custo de distribuição, mão de obra, entre outros.

  • Contabilize as despesas

Agora, é preciso visualizar as despesas da empresa, definindo gastos fixos e variáveis.

Custos variáveis: são esporádicos e dependem do volume de venda. Exemplo: gastos com emissão de um boleto.

Custos fixos: devem ser pagos, não importando o valor do seu faturamento. Exemplo: folha de pagamento.

  • Respeite a margem

Ao definir uma margem para que seu negócio sobreviva, você deve respeitá-la. Caso você tenha definido um ganho de 20% sobre o custo de cada item, atenha-se ao plano na hora de precificar, a não ser que a estratégia tenha que ser modificada. 

  • Entenda e conheça o markup e a margem de lucro

Há muitos empreendedores que nunca ouviram falar em markup e ainda aqueles que confundem o termo com margem de lucro:

Margem de lucro: é a porcentagem que volta para o caixa quando todos os custos são pagos. Calcula-se subtraindo os custos do preço final do produto.

Markup: é o percentual aplicado aos produtos, ou seja, o lucro desejado.

Sabendo o que esses termos representam para seu negócio, precificar um produto se torna uma tarefa mais simples e assertiva.

  • Estude o mercado

É sempre importante analisar o preço dos concorrentes. Por isso também é essencial você definir o seu diferencial, para que você ganhe destaque no mercado.

Empreendedorismo – ideias de negócios para 2023

Você tem vontade de abrir seu próprio negócio, mas não consegue encontrar em qual área atuar? Aqui listamos algumas ideias de negócios para 2023:

  • Alimentação saudável
  • Doces gourmet
  • Mercado pet
  • Loja de roupas
  • Cosméticos naturais
  • Produtos veganos
  • Designer de unhas – especialista em alongamento
  • Extencionista de cílios
  • Estética
  • Gestão de anúncios online
  • Serviços automotivos
  • Brechó

Conclusão

Abrir o próprio negócio não é uma tarefa tão simples, mas é algo que pode trazer uma satisfação enorme com o tempo.

O segredo é investir em algo que você tenha real paixão e queira se dedicar inteiramente. Assim, as chances do seu negócio ter sucesso é infinitamente maior.

Subscribe To Our Newsletter

Get updates and learn from the best

destaques

Quero comprar

um imóvel.

Quero empréstimo
usando meu imóvel.