Ministério da Economia reduz projeção da inflação para o fim do ano

Leia em 2 minutos
economia inflação
A Secretaria do Ministério da Economia reduziu inflação para o final do ano, o índice passou de 6,3% para 5,85%.

Compartilhar Post


A Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia reduziu a projeção da inflação para o fim de 2022, mantendo a estimativa de crescimento.

A projeção de inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) recuou de 6,3% para 5,85%.

Porém, ainda está acima da meta de inflação para o ano, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) em 3,5%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2% e o superior é 5%.

No ano, o IPCA já acumula alta de 4,7% e, em 12 meses, o índice total está em 6,47%.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), utilizado para estabelecer o valor do salário mínimo e corrigir aposentadorias, deverá encerrar este ano com variação de 6%, uma queda de 0,54 ponto percentual em relação ao boletim anterior.

A projeção para o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), que inclui o setor atacadista e o custo da construção civil, é de 6,11%, inferior à taxa registrada em 2021 (17,74%).

PIB

A estimativa para o aumento do PIB, soma dos bens e dos serviços produzidos no país, ficou em 2,7%, mesmo número divulgado no boletim anterior, em setembro.

Segundo a SPE, o desempenho do emprego, do setor de serviços e da taxa de investimento justificaram a manutenção.

Já esperava-se desaceleração da atividade econômica no segundo semestre deste ano, resultado dos efeitos defasados do ciclo de ajuste da política monetária (aumento de juros pelo Banco Central).

No entanto, projeta-se que os impactos se reduzam ao longo do próximo ano.

Em 2021, o PIB do Brasil cresceu 4,6%, totalizando R$ 8,7 trilhões. Apesar de manter a estimativa para 2022, a SPE reduziu a previsão de crescimento em 2023 de 2,5% para 2,1%.

Segundo o órgão, o cenário externo mais adverso, com a alta dos juros da economia norte-americana e a guerra na Ucrânia, afeta a expansão econômica no resto do mundo.

Já a projeção para 2024 foi mantida em 2,5%.

Perspectivas

Apesar de reconhecer a desaceleração da economia no terceiro trimestre, a SPE espera que a recuperação econômica se mantenha no quarto trimestre, puxada pelos serviços e pela estabilidade na agropecuária.

Segundo o órgão, os efeitos do aumento da taxa Selic pelo Banco Central são os principais responsáveis pela queda no ritmo de crescimento.

Subscribe To Our Newsletter

Get updates and learn from the best

destaques

Quero comprar

um imóvel.

Quero empréstimo
usando meu imóvel.