Rodadas de investimento em Startup

Leia em 3 minutos
Investimentos Startups agosto 2022
Confira as rodadas de investimento em Startup Serie A, B e C em diante. Veja também quais empresas receberam aportes.

Compartilhar Post

Hoje em dia muito se fala em rodadas de investimento em Startup. Mas você sabe o que isso significa?

Essas rodadas são uma maneira de conseguir recursos para alavancar ainda mais a empresa.

Se você quer entender melhor sobre startups, clique aqui.

Essas rodadas de investimentos são divididas em fases que classificam a startup de acordo com receita, potencial e estratégia de crescimento, por exemplo.

Aqui vamos explicar o que são as rodadas Série A, B e C em diante. Porém, é possível encontrar o investidor anjo, aceleradoras, investimento semente, private equity, venture capital, etc.

Rodada de investimento em startup – Série A

Também chamada de Series A, acontece na fase em que uma startup já tem um modelo de negócio construído, com clientes e receita. Além disso, ela precisa demonstrar potencial para crescer e gerar ainda mais receita.

A principal diferença entre a rodada série A e as etapas iniciais de captação de recursos é a quantidade de dinheiro envolvida. Segundo a Fundz, que consolida informações de investimentos em startups pelo mundo, o mais comum é que um investimento série A fique entre US$ 2 milhões e US$ 15 milhões.

Do lado de quem financia, são os fundos de Private Equity e Venture Capital que costumam bancar rodadas de investimento a partir da série A. Esses fundos costumam ter uma determinada quantidade de recursos para investir em empresas que atendem a requisitos definidos em sua estratégia de investimento.

Há, por exemplo, aqueles que investem apenas em empresas do mercado B2B. Outros olham apenas para o setor de tecnologia. Há ainda aqueles que mesclam setores, o que ajuda na diversificação.

Outro critério para filtragem é a própria fase de crescimento da empresa. Há fundos que podem entrar na fase de seed capital e permanecer até o IPO e além. Por outro lado, outros fundos precisam sair do investimento quando a empresa atinge determinado patamar de crescimento. No fim, tudo depende da tese de investimento do fundo.

Rodada de investimento em startup – Série B

As rodadas série B ou Series B são para empresas expandirem seu alcance no mercado. Ela serve para quem já conseguiu andar com os planos da série A e lançou novos produtos ou descobriu novas formas de gerar receita.

As empresas que passaram para essa fase já desenvolveram bases de clientes e provaram aos investidores que estão preparadas para trabalhar em maior escala. A Fundz estima que o volume médio de recursos levantados nesse período fique entre US$ 30 milhões e US$ 60 milhões.

Os fundos de investimento que participam de uma rodada série B geralmente são os mesmos que já aportaram na série A, até para evitarem a diluição de sua participação na companhia devido ao aumento de capital. Porém, novamente de acordo com as teses de investimento de cada um, há aqueles que entram somente a partir dessa etapa.

Umas das possibilidades já a partir dessa fase é a expansão por meio de fusões e aquisições: quando startups começam a comprar empresas para evoluir o seu negócio.

Rodada de investimento em startup – Série C, D, E, F e G

Existem empresas que conseguem crescer tanto que a sua expansão acaba financiada por diversas outras rodadas de investimento. As startups unicórnio costumam se encaixar nesse critério.

Quanto mais elas crescem, mais chamam a atenção de novos investidores e passam a ter mais opções de financiamento. Outro fator importante é que o risco para os investidores diminui nessa fase, uma vez que o negócio está mais consolidado. Assim, é mais comum ver fundos de hedge (hedge funds) e bancos de investimento nessa fase.

O potencial de valorização exponencial da companhia e a preparação para um possível IPO são os fatores que atraem interessados. É a mesma lógica de comprar um ativo hoje pensando que ele vai se tornar mais valioso no futuro.

Exemplos de startups na rodada de investimento série C:

  • Alice;
  • Buser;
  • Omie.

Exemplos de startups na rodada série D:

  • Facily;
  • LivUp;
  • Loft.

Exemplos de startups na rodada série E:

  • MadeiraMadeira;
  • Quinto Andar.

Exemplos de startups na rodada série F:

  • Creditas;
  • Loggi.

Alguns casos raros de startups que chegaram na rodada série G:

  • iFood;
  • Nubank;
  • Farmer’s Business Network, que faz parte do portfólio da G2D Investments por meio da Expanding Capital.

Perceba que as séries das rodadas de investimentos não têm relação com o fato de uma startup se tornar unicórnio. Nesse caso, o critério é sempre o valuation da companhia alcançar US$ 1 bilhão, independente da fase de captação de recursos.

Subscribe To Our Newsletter

Get updates and learn from the best

destaques

Quero comprar

um imóvel.

Quero empréstimo
usando meu imóvel.