Você sabe o que é IPCA?

Leia em 3 minutos
O que é IPCA
Índice oficial da inflação, o IPCA é divulgado todos os meses pelo IBGE. Confira como é calculado e como influencia no nosso dia a dia.

Compartilhar Post

Muito se fala sobre o índice oficial da inflação, mas muitas pessoas ainda têm dúvida sobre o que é o IPCA.

É um índice que mede a variação de preços de mercado para o consumidor final. É divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) a cada mês.

Calculado desde 1979, então, o IPCA identifica uma variação nos preços do comércio. Ele é utilizado pelo Banco Central para monitorar a inflação.

Como consumidor, você pode notar que, quando os preços nas prateleiras do supermercado aumentam, o índice sobe.

De forma resumida, então, podemos dizer que o IPCA é um importante índice determinado pelo IBGE, que identifica a variação dos preços no comércio.

Desse modo, ele é utilizado pelo Banco Central como índice oficial da inflação ou deflação no Brasil.

Como o IPCA é calculado?

O IPCA é calculado mês a mês, através de uma pesquisa de preços levantada pelo IBGE. Ela é realizada em estabelecimentos comerciais, domicílios, com prestadores de serviços e concessionárias de serviços públicos.

O período de coleta do IPCA ocorre entre o 1º e o 30º (ou 31º) dia de cada mês. O objetivo é identificar, por meio do levantamento, os preços cobrados efetivamente ao consumidor, em pagamentos à vista.

Sendo assim, o IPCA considera as seguintes categorias: alimentação e bebidas, artigos de residência, comunicação, despesas pessoais, educação, habitação, saúde e cuidados pessoais, transportes e vestuário.

Cada uma possui um peso diferente no cálculo, conforme você pode observar abaixo:

  • Alimentação e bebidas (23,12%)
  • Artigos de residência (4,69%)
  • Transportes (20,54%)
  • Comunicação (4,96)
  • Despesas pessoais (9,94%)
  • Habitação (14,62%)
  • Saúde e cuidados pessoais (11,09%)
  • Vestuário (6,67%)
  • Educação (4,37%).

Tais itens ainda são divididos em outros subitens. Ao total, o IPCA mede as variações de preços de 465 subitens alocados dentro dessas categorias.

O IPCA mede a inflação para famílias com renda mensal entre 1 e 40 salários mínimos, que residem nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Salvador, Recife, Fortaleza e Belém, além do Distrito Federal e da cidade de Goiânia.

Em outras palavras, ele reflete o custo de vida da população nessas regiões.

Mas é importante destacar que o IPCA não é o único índice que monitora a inflação no país. Existem outros índices, com características diferentes e sobre os quais falaremos mais à frente.

Um dos quesitos que diferencia o Índice de Preços ao Consumidor Amplo dos demais é, justamente, a parcela da população que ele abrange.

Para que é usado o IPCA?

O IPCA serve como referência para que o governo monitore sua meta de inflação anual e, a partir daí, defina suas políticas monetárias e medidas econômicas.

Para evitar descontrole nas taxas de inflação do país, como ocorreu no início da década de 90, o governo trabalha com uma meta de inflação por ano.

Quando o IPCA sinaliza que essa meta poderá ser ultrapassada, o governo passa a tomar medidas, como aumentar a taxa de juros da economia, a Selic, para controlar o movimento inflacionário.

Indiretamente, então, o IPCA afeta o valor do seu dinheiro – e do seu poder de compra.

Mas, se você for um investidor consciente, pode usar o índice de inflação ao seu favor.

Isso porque ele também é utilizado pelo governo como índice variável de rendimento para alguns investimentos no Tesouro Direto, programa de venda de títulos públicos. Essa é uma aplicação, portanto, protegida de altas da inflação.

Além disso, muitos contratos de aluguel têm cláusulas de reajuste anual baseadas em sua variação. A maioria dos comerciantes também reajusta o preço dos produtos de acordo com o indicador.

O que significa IPCA acumulado?

O IPCA acumulado é a variação da inflação num determinado período. O IBGE destaca, geralmente, o indicador acumulado em doze meses.

Esse acúmulo é utilizado como referência para investimentos e reajustes salariais, uma vez que é necessário driblar a inflação para no primeiro caso garantir rentabilidade e no segundo tornar acessível produtos do dia a dia das famílias brasileiras.

Quais investimentos são atrelados ao IPCA?

Na hora de investir, é fundamental entender que todas as modalidades de aplicações são, direta ou indiretamente, impactadas pelo IPCA.

O índice é o balizador das políticas monetárias do governo e, por consequência, influencia decisivamente na variação da inflação. E, como regra básica, todo investidor deve acompanhar essas taxas.

Dentro desse contexto, há um verdadeiro pacote de investimentos cuja remuneração pode estar atrelada diretamente ao IPCA e que podem ser escolhas interessantes em períodos de expectativas de alta na inflação.

Nessas categorias, a rentabilidade será resultado da variação desse índice mais o retorno da taxa predefinida no momento da contratação do título.

Entre as opções diretamente atreladas ao IPCA à disposição do investidor estão, por exemplo, o Tesouro IPCA+ e o Tesouro IPCA com juros semestrais.

As alternativas incluem ainda modalidades como:

● Letra de Crédito Imobiliário (LCI)
● Letra de Crédito do Agronegócio (LCA)
● Fundos de investimento
● Títulos públicos
● Debêntures

O que é IPCA+?

Como é um índice que acompanha as variações de inflação, ele pode ser utilizado para ser atrelado à rentabilidade de investimento como renda fixa. A este índice pode ser adicionada uma taxa fixa anual.

Por exemplo: no caso do IPCA+ 3%, a taxa de rentabilidade prometida seria o índice IPCA do período mais a taxa fixa combinada de 3%.

Esse tipo de investimento garante uma rentabilidade acima da inflação. Com isso, protege o investidor de oscilações na economia no período em que o dinheiro está investido.

Subscribe To Our Newsletter

Get updates and learn from the best

destaques

Quero comprar

um imóvel.

Quero empréstimo
usando meu imóvel.